Notícias | - 10:58 am


“Cheguei a dizer a mim mesma que estava em paz e que a morte seria o melhor.”3 min read

“Cheguei a dizer a mim mesma que estava em paz e que a morte seria o melhor.”

Izabela sofreu muito após seu acidente, ela mesma dizia que estava em paz e que a morte seria a melhor solução, mas usando a fé Izabela teve a restauração de sua saúde e hoje é feliz. Conheça sua história.

“Em 2016, enquanto dirigia para o trabalho sofri um acidente que desencadeou muitos problemas. Fui levada ao hospital, as dores eram intermináveis no pescoço e na parte inferior das costas. 

Fazendo o tratamento recomendado recebi várias injeções epidurais no pescoço com a esperança de que a dor diminuísse, mas isso não aconteceu. 

A opção era passar por uma cirurgia mas antes, o médico pediu para realizar um exame chamado Discogram, passei pelo exame normalmente, porém no dia seguinte não consegui levantar a cabeça do travesseiro. Parecia que estava paralisada do pescoço pra cima e a dor era insuportável. 

Cheguei aos gritos no hospital e fui imediatamente internada, descobriram que o procedimento no exame causou uma ruptura em um ligamento do pescoço. Os médicos temiam que eu ficasse paralisada. 

Deram-me um colar cervical, recebi alta e algumas medicações foram receitadas, no dia seguinte já em casa tive febre e os remédios não me ajudavam. Foram muitas idas e vindas ao hospital e nada era resolvido, as dores eram insuportáveis. 

Fiquei internada por duas semanas, durante esse tempo vários médicos passaram pelo meu caso e nenhum deles descobria o motivo para aquela situação. 

Até que, alguns dias depois, diagnosticaram-me com Osteomelite no pescoço, que é uma infecção óssea. Já cansada de tantos problemas sem solução, cheguei a dizer a mim mesma que estava em paz e que a morte seria o melhor. 

Eu não tinha forças nem para segurar um celular, me ver naquela situação era desesperador”, desabafou. 

O DESPERTAR DA FÉ 

Muitas pessoas sabem que não há impossíveis para Deus (Lc 1:37), mas é preciso mais do que saber, é necessário uma fé em prática e alicerçada na palavra de Deus. 

“Meus pais já estavam usando a fé ao me ungirem com o óleo consagrado.  Após receber alta novamente, meus pais tiveram que alugar uma cama de hospital, pois eu não poderia ficar deitada em uma cama normal. Fazíamos tudo que estava ao nosso alcance, inclusive a fé era a nossa aliada. 

Até que chegou a campanha de Israel e ali vi a minha oportunidade de resolver de uma vez por todas a minha vida, eu não aceitava mais viver daquele jeito. Fui para o altar e fiquei na dependência de Deus, minha vida, minha saúde, tudo estava no altar. 

Após alguns dias, percebi que os medicamentos estavam fazendo efeito, na fisioterapia consegui fazer mais movimentos e finalmente eu estava vendo a minha melhora dia após dia. O processo foi longo mas hoje vivo normalmente. 

Deus fez por mim o que eu não podia fazer, o que os médicos, meus pais, meus advogados não podiam fazer. Eu me entreguei por inteiro e o milagre aconteceu. 

Hoje estou muito feliz, com saúde e agradeço a Deus por tudo que ele fez e tem feito em minha vida”, finalizou feliz. 

“Cheguei a dizer a mim mesma que estava em paz e que a morte seria o melhor.”

gota do milagre

Encontre uma Universal mais perto de você. 


Igreja Universal
  • Redação  


reportar erro